PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Núncio da Nicarágua apela a retomada do diálogo

18 de Julho de 2018

O núncio apostólico na Nicarágua, Dom Waldemar Stanislaw Sommertag, divulgou um apelo para que seja declarada uma trégua que permita um rápido retorno do diálogo nacional.


"A chorar por todos os mortos e a rezar pelas suas famílias com todas as minhas forças humanas e espirituais, faço um apelo às consciências de todos para se chegar a uma trégua que permita um rápido retorno à mesa do diálogo nacional para buscar juntos uma solução adequada e resolver assim a crise. Todos nós humildemente nos colocamos sob a proteção da Santíssima Virgem Maria, a pedir a sua ajuda para que guie sempre a nossa amada Nicarágua", lê-se na mensagem.


Há três meses que a violência abala o país e já causou mais de 350 mortes. A oposição pede a restauração da democracia e a renúncia de Ortega, que está no poder desde 2007 pelo terceiro mandato consecutivo e governa junto com sua esposa Rosario Murillo, que é vice-presidente.


"Neste momento trágico, desejo expressar também em nome do Santo Padre e da Santa Sé a profunda preocupação pela grave situação que se está a viver no país. Logicamente, não é aceitável pensar que os mortos e as vítimas da violência possam resolver uma crise política e garantir um futuro de paz e prosperidade para a Nicarágua", afirma o representante do Papa.


Ao dar refúgio e socorrer os feridos nas manifestações, a Igreja desagradou o governo, diz o cardeal Leopoldo Brenes Solórzano. A repressão do governo sandinista é agora dirigida abertamente contra a Igreja. “Ouvindo o convite do Papa Francisco para ser um hospital de campanha, muitas das nossas paróquias deram refúgio aos que buscavam segurança e socorreu os feridos. Isto certamente não agradou ao governo. Assim como não agradou a nossa solicitude ao tentar desmantelar esta força paramilitar”, referiu o cardeal.

Dia Nelson Mandela: Agir contra a pobreza

18 de Julho de 2018

Celebra-se nesta quarta-feira, 18 de julho de 2018, o Dia Internacional Nelson Mandela pela liberdade, justiça e democracia. Se fosse vivo, o líder sul-africano completaria hoje 100 anos.


A mensagem por detrás do «Mandela Day» é simples: Todos têm a capacidade e a responsabilidade de mudar o mundo para melhor.


Se cada um de nós atender ao apelo de simplesmente fazer algo de bom todos os dias, poderemos viver o legado de Nelson Mandela e ajudar a construir o país dos nossos sonhos.


Em 2018, a Fundação Nelson Mandela encoraja a todos e cada um de nós a agir contra a pobreza de uma forma que traga mudanças sustentáveis.


“Precisamos restaurar e reafirmar a dignidade do povo da África e do mundo em desenvolvimento. Precisamos colocar a erradicação da pobreza no topo das prioridades mundiais” (Nelson Mandela).


“A pobreza é a raiz de muitas mazelas: desnutrição, nanismo, maus resultados educacionais, déficit de habilidades e desemprego, doenças, perda de dignidade e até do ódio e da violência. Temos que agir contra a pobreza e temos que trabalhar juntos para isso. Cada um de nós pode fazer todos os dias um Dia Mandela escolhendo fazer algo sustentável que ajude a erradicar a pobreza e garantir que cada um de nós realize o ideal de uma vida digna”, declara a Fundação Nelson Mandela.

Quatro padres de ouro

18 de Julho de 2018

Os padres António Martins, Gregório dos Santos, Manuel Anjos e Manuel Horta celebraram juntos no domingo, 15 de julho, as bodas de ouro sacerdotais no Seminário das Missões em Viseu.


Os quatro foram ordenados padres por Dom José Pedro da Silva, o bispo açoriano de Viseu, a 13 de julho de 1968 na mesma capela, juntamente com mais três colegas: um faleceu e dois casaram.


Na mesma cerimónia foi ordenado diácono o P. Alexandre Ferreira.


A capela foi pequena para a missa jubilar.


Familiares, amigos, benfeitores e vizinhos estiveram presentes na Eucaristia presidida pelo superior provincial.


Durante a homilia, o P. Horta falou em nome dos quatro jubilados.


«Formos chamados pela graça de Deus, escolhidos de Deus para uma missão», disse.


Recordou que um comboniano lhe perguntou na sacristia de Vila Nova de Tazem se queria ser missionário.


Respondeu: «Não sei bem o que é, mas acho que sim.»


Coube ao P. Gregório apresentar os agradecimentos.


«A palavra bem-haja, obrigado brota do nosso coração ao Pai da messe e a todos os que nos ajudaram ao longo deste tempo», disse.


Recordou alguns combonianos já falecidos, benfeitores e amigos.


A Província ofereceu aos quatro jubilados um crucifixo alusivo às bodas de ouro.


A Eucaristia foi solenizada pelo coro dos jovens da Capela.


Cerca de 60 convidados participaram no almoço de confraternização.


Os quatro padres de ouro têm percursos interessantes.


O P. Horta foi missionário em Moçambique, provincial de Portugal, viveu uma década em Roma como secretário-geral da formação e superior da comunidade de Roma. Atualmente é administrador da Editorial Além-Mar.


O P. Gregório, que também foi provincial de Portugal, passou a sua vida missionária ente o Brasil e Portugal. Vive em Lisboa.


O P. Anjos viveu quase sempre em Moçambique: juntou à evangelização o estudo de duas línguas locais. Publicou dicionários e gramáticas. Faz parte do grupo que está a traduzir a Bíblia para cinyungwe, a língua de Tete.


O P. Martins começou o serviço missionário em Portugal. Foi capelão militar em Angola durante dois anos e também trabalhou no Peru (esteve em Cerro de Pasco , a paróquia católica mais alta do mundo, a mais de 4000 metros de altitude) e Brasil. É o capelão da capela da Maia.


A província portuguesa louva Jesus por partilhar o seu único sacerdócio ministerial com estes padres de ouro e agradece-lhes o exemplo da fidelidade e dedicação ao Senhor e à Sua missão.


Que o seu exemplo e alegria de vida atraiam mais jovens para a missão comboniana.


José da Silva Vieira (MCCJ) - Jirenna


 

ONU condena repressão violenta dos protestos na Nicarágua

17 de Julho de 2018

O Secretário Geral das Nações Unidas (ONU) condenou a repressão violenta dos protestos por parte das forças de segurança na Nicarágua.


António Guterres pede ao Presidente Daniel Ortega que “ofereça proteção efetiva à sua população contra os ataques, garanta o respeito aos direitos humanos e responsabilize os autores da violência”.


Guterres realça ainda que “o uso de força letal não é apenas inaceitável, mas também, em si, um obstáculo à obtenção de uma solução política para a atual crise”.


A oposição ao governo da Nicarágua realizou um dia de greve geral na passada sexta-feira, 13 de junho, quando também pediram a saída do presidente Ortega, que acusam de ter instaurado uma ditadura no país.


Durante os protestos que se seguiram no final de semana, ao menos dez pessoas morreram. Manifestantes exaltados e uma repressão violenta acabaram por gerar diversos conflitos.


No sábado, dois jovens, de 20 e 21 anos, foram mortos em um ataque de forças do governo contra uma igreja em Manágua, capital do país, onde estavam encerrados dezenas de estudantes.


Também o carro que transportava o bispo Abelardo Mata para Masaya foi atacado a tiros por paramilitares ligados ao governo. No entanto, fonte de Igreja informou que o religioso está “fora de perigo”. Dom Abelardo é um dos mediadores no Diálogo Nacional, que busca uma solução pacífica para a crise político-social do país.

Regra de Vida

17 de Julho de 2018

A Comissão Central para a Revisitação e Revisão da Regra de Vida reuniu-se em Roma nos dias 26-29 de Junho antes de tudo para uma primeira avaliação do trabalho em curso sobre a mesma Regra por parte de todas as Circunscrições do Instituto, em segundo lugar para recolher e organizar as propostas de revisão até agora chegadas à Comissão e, em terceiro lugar, para um intercâmbio de ideias a tal respeito com os consulentes combonianos e com o Conselho Geral.


Em geral, as relações até agora recebidas das Circunscrições falam-nos só da reflexão sobre as primeiras duas partes da Regra de Vida. Mas é já motivo de grande satisfação constatar com quanta disponibilidade, empenho e seriedade os Confrades enfrentaram um trabalho de leitura, estudo e oração sobre a Regra de Vida. Delas se pode deduzir que, em geral, há no Instituto muito desejo de reapropriar-se do espírito da Regra de Vida, de aprofundar o carisma comboniano e de concretizá-lo e vivê-lo no seio dos vários contextos socioculturais em que estamos presentes e exercemos o nosso ministério missionário.


Esta atenção a conjugar entre si o espírito do carisma, as diversidades culturais presentes em número sempre maior no seio do Instituto e as sensibilidades do tempo presente nota-se pelas propostas de revisão do texto constitucional. Até agora, todavia, o trabalho das circunscrições concentrou-se sobre o aspecto da revisitação, isto é, sobre o apreço e internalização da riqueza teológica, espiritual e prática da Regra e sobre uma sua apropriação criativa. O próprio conteúdo das primeiras duas partes da Regra favoreceu esta aproximação.


Um sentido obrigado, portanto, a todos os confrades pela sua participação e contributo, e aos animadores e superiores que a nível circunscricional apoiaram e favoreceram o processo, juntamente com um convite a prosseguir com o mesmo ardor no estudo e oração sobre as outras três partes da Regra de Vida.


Fonte: Comboni.org

Nicarágua: Repressão a protestos causa dez mortos

16 de Julho de 2018

Uma violenta incursão de forças policiais e paramilitares a vários povoados no sul da Nicarágua deixou pelo menos dez mortos e cerca de 20 feridos no domingo, 15 de julho. Um verdadeiro ataque do presidente Daniel Ortega contra a onda de protestos que agita o país.


Seis dos mortos são civis, entre eles dois menores, e quatro, policiais do Batalhão de Choque, segundo o relatório preliminar da Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos (ANPDH).


O ataque aconteceu na cidade de Masaya, 30 quilómetros ao sul de Manágua, nas comunidades vizinhas de Niquinohomo, Catarina e no bairro de Monimbó.


De acordo com as informações, foi pedido para as autoridades que abram uma via para retirar os feridos, o que não foi autorizado. “Há snipers (atiradores furtivos) localizados em diferentes partes da cidade. Pedimos à população para se proteger em suas casas”, disse o presidente da ANPDH, Alvaro Leiva.


Ataque contra carro do bispo


O carro que transportava o bispo Abelardo Mata para Masaya foi atacado a tiros por paramilitares ligados ao governo, mas o religioso está “fora de perigo”, informou a Igreja.


O bispo Abelardo Mata, um dos cinco líderes católicos envolvidos na mediação do diálogo entre o governo e a oposição, “foi intercetado por paramilitares, que atiraram em seu carro, quebraram os vidros e tentaram queimá-lo”, revelou seu assistente Roberto Petray.


Contestação ao Presidente Daniel Ortega arrasta-se há três meses sob a forma protestos violentos, reprimidos pelo orteguismo também com violência. Número de mortos ultrapassa os 300 e o país está mergulhado num abismo que parece não ter fundo.


Estradas bloqueadas, barricadas nas ruas, greves nacionais, confrontos entre gangues. E sangue, demasiado sangue. É a realidade da Nicarágua há praticamente três meses e não parece haver forma de lhe por cobro. A repressão brutal das forças governamentais a um protesto contra a proposta de Ortega para reformar a Segurança Social, em Abril, deu origem a um movimento alargado de contestação popular, que se recusa a abandonar a ruas enquanto o Presidente se mantiver em funções.

Combonianos na Europa preocupados com a falta de espírito humanitário

16 de Julho de 2018

“Estamos profundamente perturbados com o facto de a Europa parecer estar a perder o seu espírito humanitário, fechando as portas aos refugiados e migrantes e empurrando as suas fronteiras para as costas africanas, colocando assim as vidas de muitos seres humanos em risco e de escravidão na Líbia, em contravenção com as obrigações do direito internacional humanitário”, diz a Mensagem dos superiores maiores dos Missionários Combonianos na Europa.


MENSAGEM DOS SUPERIORES MAIORES DOS MISSIONÁRIOS COMBONIANOS NA EUROPA


“Ante os desafios dos movimentos contemporâneos de migração, a única resposta razoável é de solidariedade e misericórdia.”


(Papa Francisco, 6 de Julho de 2018)


Nós, os superiores maiores dos Missionários Combonianos na Europa, reunidos na nossa assembleia anual (Sunningdale, 12 a 14 de Julho de 2018):


- Estamos profundamente perturbados com o facto de a Europa parecer estar a perder o seu espírito humanitário, fechando as portas aos refugiados e migrantes e empurrando as suas fronteiras para as costas africanas, colocando assim as vidas de muitos seres humanos em risco e de escravidão na Líbia, em contravenção com as obrigações do direito internacional humanitário;


- Condenamos o encerramento de portos europeus a migrantes em perigo no mar;


notamos que a insegurança e a criminalidade na Europa têm as suas raízes principais em problemas locais e não no fenómeno da migração;


- Apoiamos de todo o coração as vozes e gestos proféticos dos missionários combonianos que estão com os migrantes e refugiados;


- Seguimos as orientações do Papa Francisco e de outras vozes da Igreja e pedimos aos nossos confrades que sejam a voz dos migrantes e refugiados, “os mais pobres e mais abandonados” no nosso meio, hoje;


- Exortamos todas as pessoas de boa vontade a denunciarem tais injustiças, particularmente o aumento do racismo e da xenofobia.


Sunningdale, 13 de Julho de 2018


Os superiores maiores dos Missionários Combonianos na Europa

Comunicado dos bispos peruanos sobre corrupção na justiça

13 de Julho de 2018

A Conferência Episcopal Peruana (CEP) divulgou um comunicado sobre os novos casos de corrupção que estão a abalar o país e que envolvem juízes e membros do Conselho Nacional de Magistratura apanhados a combinar sentenças em troca de dinheiro e de favores.


“Se os factos não forem esclarecidos, nossos cidadãos perderão credibilidade e respeito pelas autoridades judiciais e respectivas instituições, com resultados desastrosos para a coexistência democrática de nosso país”, escrevem os bispos peruanos.


Alguns áudios que circulam pela imprensa, falam de trocas de favores, recomendações, pressões sobre investigações em andamento, envolvendo três membros do Conselho Nacional da Magistratura (CNM), órgão supremo do poder judiciário e dois juízes.


Para os bispos, a situação atual exige mudanças estruturais que os cidadãos esperam há décadas e que devem garantir que os membros da CNM sejam profissionais inquestionáveis e indiscutíveis, além de melhorar o processo de seleção de juízes e promotores.


Neste contexto, “apoiamos as propostas de reforma do Poder Judiciário, em particular, a que foi expressa pelo Presidente da República. A Igreja estará sempre disposta a colaborar em prol do país”, indicam.


O documento foi apresentado diretamente ao presidente da República, Martín Vizcarra Cornejo, num encontro com o presidente da CEP.

Combonianos: Assembleia Europeia da Formação

12 de Julho de 2018

Ainda do "lugar do crime", envio um breve resumo da nossa Assembleia, que foi de grande otimismo e esperança para nós participantes e espero o seja para vós Equipas JIM.


Assembleia teve lugar em Sunningdale, arredores de Londres, de 3 a 10 de Julho, e participámos 16 representantes das cinco Províncias Europeias dos Missionários Combonianos.


O Tema foi "Missão e Juventude na Europa de Hoje", com particular atenção ao processo apresentado pelo Sínodo 2018 sobre os Jovens, a realizar em Outubro, com a temática "Jovens, Fé e Discernimento Vocacional".


Com esperança e otimismo, sublinho algumas conclusões que pensamos nos ajudarão no Caminho... e que vos convido desde já a reflectir para animar o nosso trabalho JIM:


1. PROMOVER O ESPÍRITO MISSIONÁRIO através dum Campo de Verão internacional e acolhimento de jovens de outros países nas nossas atividades anuais.


2. PESQUISA AOS NOSSOS JOVENS FC (JIM) para melhor conhecimento nosso, do que os nossos jovens pensam e sentem, procurando assim encontrar pistas para melhor os acompanhar.


3. COLABORAÇÃO NOS NOSSOS WEBSITES e meios digitais para melhor nos ajudarmos a passar a mensagem Missionária no mundo de hoje.


4. PARTILHAR MAIS AS NOSSAS EXPERIÊNCIAS nos diferentes países para um mais profundo caminho vocacional Missionário.


Propostas não faltaram que estudaremos e partilharemos para nós fortalecermos nesta bela “aventura jovem”... apesar de alguns já sermos "cotas".


Todos, tudo e sempre em missão


Nosso tema 2018-19: Faz o teu coração… gritar Missão!


Antes que perca o avião... até já Portugal.


Fraternalmente, Carlos A. Nunes

Jejum em solidariedade com os migrantes

12 de Julho de 2018

Na terça-feira, dia 10 de julho, homens e mulheres de boa vontade se encontraram em Roma, na Piazza San Pietro, para um dia de jejum. De lá eles foram para o Montecitorio para testemunhar com o jejum contra as políticas de migração do actual governo italiano. O jejum continuará por mais 10 dias com um acampamento em frente à Câmara dos Deputados, das 8 às 14 horas.

Eu sou missão

12 de Julho de 2018

O ser missão faz de nós buscadores e testemunhas do essencial.


Eu sou missão é o tema escolhido para as Jornadas Missionárias de 15-16 de Setembro em Fátima. Enquadra-se na caminhada que os jovens, e com eles toda a Igreja, estão a realizar rumo ao Sínodo dos Bispos de Outubro, que tem como tema Os Jovens, a fé e o discernimento vocacional.


Um processo que quis envolver todos os jovens numa caminhada ao longo de três momentos de acção: Domingo de Ramos – Dia Mundial da Juventude (Abril), Voluntariado Missionário em tempo de férias (Julho/Agosto) e as Jornadas Missionárias (Setembro). Três momentos em que quisemos reafirmar com o Papa Francisco: «Eu sou uma missão nesta terra e por isso estou no mundo».


A partir do primeiro encontro de preparação para estas Jornadas Missionárias, entrámos num diálogo que, certamente, vai permitir a transformação. O nosso tempo é tempo de renascer, de florescer e de gerar esperança porque sabemos que há alternativas à indiferença, ao desencanto e ao sofá. Basta implicar-nos nos processos que agilizem a nossa disponibilidade para o anúncio do Evangelho.


É verdade que nos processos de missão fascinam-nos os acontecimentos vistosos e apreciamos menos os silêncios, esses que nos chegam sem ruído, sem espectáculo, como o fermento na massa (cf. Lc 13,20-21) ou o germinar da semente (cf. Mc 4,26-27), mas são esses que mudam o nosso modo de perceber, de pensar e de agir. Deus esconde-se no pequeno para transformar o grande. É Ele quem nos lança na alegria da missão de “estar enamorados” e nos leva a lançar-nos nos Seus braços, numa relação na qual se quebram todas as regras e todos os protocolos de uma alma e de uma vida que se sente sedenta de um contacto real sem se importar se a lógica que anima a sua oração é quietude ou missão.


Ser missão é deixar predominar o ritmo da familiaridade, esse tu a tu, esse coração a coração, esse ser pontes e fazer pontes. É deixar quer todos os sentidos envolvam na singular cena de um encontro, não com uma ideia, mas com uma Pessoa, Jesus Cristo, como transparência bela do ser missão.


Nestas jornadas procuramos sair do eu e ir ao nós, da simples relação à partilha, da auto-referencialidade à alteridade. Fomentar a procura, o sentido e o encontro, a empatia e não entorpecer o diálogo. Que fluam as perguntas e as respostas. Ser livres e responsáveis nas conexões e desconexões, nos encontros e desencontros. Integrar as diferenças de todo o tipo. Fazer resplandecer a maturidade e a simplicidade.


Queremos ser missão, escutando o que o Espírito nos diz a todos aqui e agora, discernindo os sinais dos tempos, anunciando com valentia Jesus Cristo vivo no meio de nós. Tudo isto requer sagacidade, audácia e métodos criativos para não nos perdermos nos meios e conseguirmos o nosso objectivo: anunciar com a vida e com as obras o Reino de Deus.


O ser missão faz de nós buscadores e testemunhas do essencial.


P.e António Lopes, SVD, Director Nacional das OMP

Venezuela: Padre assassinado durante roubo de carro

11 de Julho de 2018

O padre Iraluis José García Escobar, pároco da igreja Nossa Senhora de Fátima, da Arquidiocese de Barquisimeto, foi assassinado na segunda-feira, 8 de julho, por ladrões que lhe roubaram o veículo.


De acordo com informações da Conferência Episcopal Venezuelana (CEV), o sacerdote chegava de carro a paróquia quando recebeu dois tiros de ladrões que lhe queriam roubar o veículo.


O vigário geral da Arquidiocese de Barquisimeto, Oswaldo Araque, expressou “profundo pesar” pela morte do padre Iraluis, conhecido como "um padre dedicado a comunidade e com grande zelo pastoral".

Pesar do Papa pelas vítimas das inundações no Japão

11 de Julho de 2018

O Papa Francisco manifestou a sua solidariedade a todos os que foram afetados pela tragédia das cheias no Japão. Inundações causaram a morte de 179 pessoas e há dezenas de desaparecidos.


No telegrama, assinado pelo Secretário de Estado, card. Pietro Parolin, o Pontífice oferece encorajamento às autoridades civis e a todos os envolvidos nos esforços de busca e socorro às vítimas deste desastre.


“Estou profundamente entristecido ao saber da perda de vidas e do dano causado pelas graves inundações que se seguiram às fortes chuvas no Japão”, refere a mensagem do Papa, que expressa sua “sincera solidariedade com todos os afetados por esta tragédia”.


“Sua Santidade ora especialmente pelo repouso dos falecidos, pela cura dos feridos e pelo consolo de todos os que choram. O Santo Padre também oferece encorajamento às autoridades civis e a todos os envolvidos nos esforços de busca e salvamento, que ajudam as vítimas deste desastre”.

Rep. Centro-Africana: Padre assassinado em Bambari

02 de Julho de 2018

Mais um padre foi assassinado na República Centro-Africana (RCA). O padre Firmin Gbagoua, vigário geral da diocese de Bambari, foi morto na sexta-feira, 29 de junho, num ataque realizado por homens armados.


O sacerdote levou um tiro no estômago e foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.


Recordamos que no dia 1 de maio de 2018, um ataque contra os fiéis que participavam da missa na igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Bangui, deixou dezenas de mortos e entre eles o padre Albert Toungoumalé-Baba, de 70 anos.


A RCA tem vivido uma escalada de violência com os frequentes combates entre milícias.


No dia 24 de junho, os bispos da RCA lançaram um comunicado a demonstrar grande preocupação com o aumento da violência no país. No comunicado, o episcopado havia constatado “com espanto e amargura” a chegada de “novos mercenários, que tornam difícil a resolução da crise.”


“A impunidade e a anistia que alguns estão a tentar impor-nos não nos trará a paz”, escreveram os bispos, referindo-se aos muitos acordos que, segundo eles, teria até mesmo incentivado a ação das milícias.

Atividades de Verão para jovens

20 de Junho de 2018

Neste Verão, sai de casa e vem descobrir um mundo. Larga o computador, a PlayStation, o mundo virtual e vem jogar no mundo real. Vem ver com os teus próprios olhos o quanto este mundo precisa de ti.


Convida os teus amigos e para passar as melhores Férias de Verão de sempre. Vê o que temos para ti e arrisca.


Grupo de jovens combonianos: Jovens em Missão - JIM


7 e 8 de julho


Encontro de jovens em regime de Acampamento. Este é um fim-de-semana com Workshops, Jogos, muita Animação… e ainda com um Festival Sunset.


De 24 a 28 de julho


Caminhada Jovem a Fátima, com saída em Azambuja (90Km a pé). São dias intensos, cheios de atividades, momentos de silêncio, partilha, oração, convívio e amizade.


De 18 a 26 de agosto


Voluntariado Missionário nos bairros na periferia de Lisboa –  paróquias de Camarate e Apelação. São feitas atividades nos bairros sociais com crianças e adolescentes de várias etnias.


 

Semp’abrir 2018

01 de Junho de 2018

Caminhada jovem a Fátima


De 24 a 28 de julho 2018 para jovens a partir dos 16 anos.


Tema: Agarra a Mochila, o Mundo e a Missão, olhando para Maria!


Com partida de Azambuja. São dias intensos, cheios de actividades, momentos de silêncio, partilha, oração, convívio e amizade. Calcorreando caminhos e estradas, com a missão no coração, construímos pontes, partilhamos esperanças, anseios e desejos, fazendo experiências únicas da presença de Deus e de partilha com os outros.


Programa


Dia 24 de julho: Ponto de encontro: 18h – Centro Social Paroquial da Azambuja


Em caminho: dias 25 a 27 de julho


Chegada a Fátima: dia 27 – Santuário


Sábado, dia 28: participação na peregrinação da família comboniana.


No dia 28 de julho, sábado convida a tua família para a peregrinação da família comboniana.


Inscrições até 11 de julho


Com o P. Carlos Nunes: jimsulmccj@gmail.com


Telm: 913 739 160


Inscrição online AQUI.

Galeria


Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário