PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

América Latina: Cepal e Unicef pedem proteção à infância

23 de Maio de 2017

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) convocaram um reforço aos sistemas de proteção social da infância nos países da América Latina devido à sua vulnerabilidade perante os desastres naturais.


“Os rapazes e as raparigas da América Latina e das Caraíbas, particularmente os que vivem em contextos de pobreza, são altamente vulneráveis aos desastres e experimentam os seus efeitos de forma desproporcionada e crescente”, disseram a Cepal e o Unicef em uma nota conjunta.


“A frequência de desastres na América Latina e nas Caraíbas aumentou 3,6 vezes em meio século. Na década de 1960 houve, em média, 19 desastres por ano e na primeira década do século XXI essa média aumentou para 68 fenômenos anuais”, disseram os dois órgãos das Nações Unidas. A maior parte dos desastres na região está relacionada a fenômenos meteorológicos e hidrológicos, como furacões, tempestades, inundações e secas.


A catástrofe com maior número de mortos na região, no entanto, foi o terremoto do Haiti, em 2010, que deixou mais de 222 mil mortos, destaca a publicação. Garantir níveis básicos de investimento e acesso a serviços como saúde, educação e moradia, entre outros, fortalece a prevenção e a capacidade de resposta e reduz a vulnerabilidade aos desastres, diz o documento.


 “A proteção social constitui uma política pública fundamental para fazer frente aos desastres antes, durante e após sua ocorrência”, destacaram a Cepal e Unicef. Para os organismos é crucial aumentar a coordenação entre instituições para atender os pontos vulneráveis das crianças e adolescentes perante os desastres, bem como promover a inclusão das experiências dos menores na elaboração de políticas sobre o tema.

Brasil: Comunicado dos Bispos «Pela ética na política»

22 de Maio de 2017

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicou uma nota oficial com o título "Pela ética na política", em que se afirma que a Conferência está "unida aos bispos e comunidades em todo o país" e segue "com espanto e indignação" as sérias denúncias de corrupção política recebidas pelo Supremo Tribunal Federal.


Na nota, os bispos afirmam que "tais acusações exigem investigação rigorosa, na obediência sempre das garantias constitucionais. Tendo verificado os factos, os autores dos atos ilícitos devem ser responsabilizados. A vigilância e a participação política de nossas comunidades, movimentos sociais e a sociedade como um todo, podem ajudar muito a esclarecer os factos e em defesa da ética, da justiça e do bem comum."


 "Além disso, é necessário que as soluções para a crise atual respeitem e reforcem o Estado de direito democrático. Pedimos às nossas comunidades para participar de forma responsável e pacífica na vida política, contribuindo para a realização da justiça, da paz e rezar pelo Brasil", concluem os membros da Presidência.

Lisboa: Comunicar a esperança e a confiança no nosso tempo

22 de Maio de 2017

D. Pio Alves, Graça Franco e Júlio Isidro vão apresentar esta segunda-feira, 22 de maio, a mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, no auditório da Rádio Renascença, em Lisboa, às 16h00.


A sessão de apresentação da mensagem do Papa, que tem por tema “Comunicar a esperança e a confiança no nosso tempo”, é promovida pelo Secretariado Nacional das Comunicações Socais, órgão executivo da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.


O encontro começa com uma saudação do diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Socais e presidente do Conselho de Gerência da Renascença Multimédia, padre Américo Aguiar, a que se segue a apresentação do documento do Papa por D. Pio Alves, presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Socais.


Graça Franco, diretora de informação da Rádio Renascença, e Júlio Isidro, apresentador de televisão na RTP, fazem depois um comentário às propostas do Papa para a comunicação social na atualidade.


Na mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, o Papa Francisco desafiou os media e os jornalistas de todo o mundo a passar de uma lógica de “notícias más” para uma da “boa notícia”, rejeitando o sensacionalismo e a exploração dos dramas humanos.


“Creio que há necessidade de romper o círculo vicioso da angústia e travar a espiral do medo, resultante do hábito de fixar a atenção nas ‘notícias más’ (guerras, terrorismo, escândalos e todo o tipo de falhanço nas vicissitudes humanas)”, refere o Papa na mensagem para o 51.º Dia Mundial das Comunicações Sociais.


A mensagem do Papa foi publicada na festa litúrgica de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas (24 de janeiro).


O Dia Mundial das Comunicações Sociais, única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II (decreto ‘Inter Mirifica’, 1963), é celebrado no domingo que antecede o Pentecostes, este ano no dia 28 de maio.


Fonte: Agência Ecclesia

Festa Missionária em Lisboa - Maio de 2017

22 de Maio de 2017

Homilia da Eucaristia Dominical no VI Domingo da Páscoa, 21 de maio de 2017, proferida pelo Pe. José Vieira, mccj, na Casa dos Missionários Combonianos em Lisboa, no contexto da Festa Missionária em celebração dos 70 anos em Portugal.


Agradecimentos a Net Rádio Católica, 11 anos de transmissões online.


.


       


  


 

Homilia Pe. José Vieira, mccj - 21-05-2017 from Net Rádio Católica on Vimeo.

Roma: Missa de Ação de Graças pela canonização dos pastorinhos

19 de Maio de 2017

A Basílica de São Pedro, em Roma, vai acolher no sábado, 20 de maio, uma celebração de ação de graças pela canonização dos pastorinhos presidida pelo Cardeal Ângelo Amato, perfeito da congregação para a Causa dos Santos.


A eucaristia será celebrada às 10h00 (9h00 em Portugal) e precede uma conferência sobre a espiritualidade dos Santos Francisco e Jacinta Marto na aula Magna da Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.


Em Fátima, depois da visita do Papa Francisco no mês de maio, aproximam-se outras grandes peregrinações no Santuário. Cinco dessas peregrinações assinalam as aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos, Francisco, Lúcia e Jacinta e são designadas peregrinações internacionais aniversárias.


No próximo mês de junho o Santuário de Fátima irá receber três grandes peregrinações. A primeira, nos dias 9 e 10 de junho, será a 39º Peregrinação das Crianças, sob o lema “Senhora do Rosário, mais brilhante que o Sol”. Trata-se de uma das mais importantes do Santuário de Fátima, pelo número expressivo de crianças que reúne, oriundas de todas as dioceses do país. Este ano será presidida por D. António Marto.


Nos dias 12 e 13 de junho celebra-se a segunda peregrinação internacional aniversária que tem como tema “Glória a Ti Rainha da Paz”, e será presidida pelo Cardeal Angelo Bagnasco, Arcebispo Metropolitano de Génova e Presidente da Conferência Episcopal Italiana. Esta peregrinação evoca a segunda aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria e trará a Fátima um enorme grupo de peregrinos italianos.


Ainda antes de terminar o mês de junho, o Santuário de Fátima receberá a peregrinação nacional do Líbano, a 24 e 25 de junho.


A peregrinação nacional do Líbano levará ao Santuário de Fátima 10.000 peregrinos. O responsável por esta peregrinação é o P. Khalil Alwan, diretor do Santuário Nossa Senhora do Líbano - Harissa. O Patriarca, Elias Hoyek, presidirá ao terço das 21h30 no dia 24, na Capelinha das Aparições.


Na terceira peregrinação internacional aniversária, em julho (dias 12 e 13), mês em que Nossa Senhora apareceu pela terceira vez aos três pastorinhos, que terá como tema “Terna mãe, Senhora Nossa”, o presidente será D. Paolo Pezzi, Arcebispo de Moscovo.


D.  Rino Fisichella, presidente do Pontíficio Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, presidirá à peregrinação internacional aniversária de agosto, também conhecida como a peregrinação dos migrantes na medida em que coincide com a peregrinação nacional dos migrantes, promovida pela Obra Católica das Migrações. Esta peregrinação internacional aniversária terá como tema “Santa Maria, Mãe de Deus”.


No mês de setembro o Santuário de Fátima celebra a quinta peregrinação internacional aniversária com o  tema “Mãe da Igreja, rogai por nós” e será presidida pelo Cardeal Mauro Piacenza, Penitenciário-mor do Supremo Tribunal da Penitenciaria.


Dias depois o Santuário de Fátima acolherá a peregrinação nacional da República Checa. O Apostolado Mundial de Fátima da República Checa, traz ao Santuário Mariano da Cova da Iria 15 bispos, 90 padres, 100 religiosos e 340 membros do Apostolado Mundial de Fátima. Será, porventura, uma das comitivas mais numerosas previstas para este ano do centenário das aparições na Cova da Iria.


A última peregrinação internacional aniversária será no mês de outubro, e será presidida por D. António Marto, bispo da Diocese de Leiria-Fátima e o tema da peregrinação será “Maria, Estrela da Evangelização”.

Do pacto das catacumbas até Papado de Francisco

19 de Maio de 2017

No dia 16 de novembro de 1965 ao findar o Concílio Vaticano II (1962-1965), alguns bispos, animados por Dom Helder Camara, celebraram uma missa nas Catacumbas de Santa Domitila, fora de Roma e fizeram um Pacto das Catacumbas da Igreja serva e pobre. Propunham-se ideais de pobreza e simplicidade, deixando seus palácios e vivendo em simples casas ou apartamentos. Agora com o Papa Francisco este pacto ganha plena atualidade. Vale a pena rememorar os compromissos assumidos pelos bispos.


Pacto das Catacumbas


“Nós, Bispos, reunidos no Concílio Vaticano II, esclarecidos sobre as deficiências de nossa vida de pobreza segundo o Evangelho; incentivados uns pelos outros, numa iniciativa em que cada um de nós quereria evitar a excepcionalidade e a presunção; unidos a todos os nossos Irmãos no Episcopado; contando sobretudo com a graça e a força de Nosso Senhor Jesus Cristo, com a oração dos fiéis e dos sacerdotes de nossas respectivas dioceses; colocando-nos, pelo pensamento e pela oração, diante da Trindade, diante da Igreja de Cristo e diante dos sacerdotes e dos fiéis de nossas dioceses, na humildade e na consciência de nossa fraqueza, mas também com toda a determinação e toda a força de que Deus nos quer dar a graça, comprometemo-nos ao que se segue:


1) Procuraremos viver segundo o modo ordinário da nossa população.


2) Para sempre renunciamos à aparência e à realidade de riqueza, especialmente no traje.


3) Não possuiremos nem imóveis, nem móveis, nem conta em banco, etc., em nosso próprio nome;


4) Confiaremos a gestão financeira e material em nossa diocese a uma comissão de leigos competentes e cônscios do seu papel apostólico, na perspectiva de sermos menos administradores do que pastores e apóstolos.


5) Recusamos ser chamados, oralmente ou por escrito, com nomes e títulos que signifiquem a grandeza e o poder


6) No nosso comportamento, nas nossas relações sociais, evitaremos aquilo que pode parecer conferir privilégios, prioridades ou mesmo uma preferência qualquer aos ricos e aos poderosos


7.Do mesmo modo, evitaremos incentivar ou lisonjear a vaidade de quem quer que seja, com vistas a recompensar ou a solicitar dádivas, ou por qualquer outra razão.


8) Daremos tudo o que for necessário de nosso tempo, reflexão, coração, meios, etc. ao serviço apostólico e pastoral das pessoas e dos grupos laboriosos e economicamente fracos e subdesenvolvidos.


9) Procuraremos transformar as obras de “beneficência” em obras sociais baseadas na caridade e na justiça.


10) Poremos tudo em obra para que os responsáveis pelo nosso governo e pelos nossos serviços públicos decidam e ponham em prática as leis, as estruturas e as instituições sociais necessárias à justiça, à igualdade e ao desenvolvimento harmônico e total do homem


12) Comprometermo-nos a partilhar, na caridade pastoral, nossa vida com nossos irmãos em Cristo, sacerdotes, religiosos e leigos, para que nosso ministério constitua um verdadeiro serviço; assim:


-esforçar-nos-emos para “revisar nossa vida” com eles;


-suscitaremos colaboradores para serem mais animadores segundo o espírito, do que chefes segundo o mundo;


-procuraremos ser o mais humanamente presentes e acolhedores;


-mostrar-nos-emos abertos a todos, seja qual for a sua religião.


13) Tornados às nossas dioceses respectivas, daremos a conhecer aos nossos diocesanos a nossa resolução, rogando-lhes ajudar-nos por sua compreensão, seu concurso e suas preces.


Ajude-nos Deus a sermos fiéis”.


Não são esses os ideais apresentados pelo Papa Francisco?


 

Portugal: Caminhada jovem a Fátima

03 de Abril de 2017

Vem aí mais uma «Sempábrir», caminhada jovem a Fátima organizada pelo grupo Jovens em Missão (JIM), dos Missionários Combonianos.


O evento, que acontece entre os dias 18 e 22 de julho, está subordinado ao tema «Com Maria, faz caminho» e encerra na Peregrinação da Família Comboniana a Fátima.


Com partida de Coimbra, serão dias intensos cheios de actividades, momentos de silêncio, partilha, oração, convívio e amizade. Calcorreando caminhos e estradas, com a missão no coração, construímos pontes, partilhamos esperanças, anseios e desejos, fazendo experiências únicas da presença de Deus e de partilha com os outros.


Informações


Data: De 18 a 22 de julho 2017


Idade: Jovens a partir dos 16 anos


Inscrições: Até 4 de julho com o P. Jorge Domingues: jovemissio@gmail.com / tel: 916656857 ou na página do JIM.


Programa


Dia 18: Ponto de encontro: Casa dos Combonianos de Coimbra às 19h


Dia 21: Chegada a Fátima


Dia 22 (sábado): Participação na Peregrinação da Família Comboniana – convida a tua família para estar presente

Galeria


Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário