PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

23 de Outubro: Dia Mundial das Missões

«Assim como o Pai me enviou, também Eu vos envio a vós»

21 de Outubro de 2011

Na mensagem para o Dia Mundial das Missões deste ano, o Santo Padre Bento XVI repete a famosa frase do Papa Paulo VI na Evangelii Nuntiandi: a Igreja existe para evangelizar.


O mês de outubro, tradicionalmente o mês missionário, é uma oportunidade para todos nós, mais uma vez, refletirmos sobre a missão da Igreja. Este mês abre logo no dia 1 com a celebração da festa de Santa Teresa do Menino Jesus, padroeira das missões (juntamente com São Francisco Xavier), e no dia 23 celebraremos o 85.º Dia Mundial das Missões.


A Igreja existe para evangelizar; é a sua razão de ser, o seu horizonte e o seu objetivo. A evangelização, de facto, não é mais uma dimensão na Igreja. Não. Ela é a razão de ser da própria Igreja, tal como o sangue que dá a vida ao corpo. Ela está presente em todas as dimensões da Igreja, e é transversal a todas elas. A evangelização ou a missão não é algo que a Igreja pode ou não considerar. A missão é de facto a vida da Igreja: esta nasce da missão e vive para a missão.


Necessidade da missão O saudoso papa e beato João Paulo II, que o Papa Bento XVI cita na sua mensagem para este ano, dizia-nos que «a missão de Cristo Redentor, confiada à Igreja, está ainda bem longe do seu pleno cumprimento… uma visão de conjunto da Humanidade mostra que tal missão está ainda no começo, e deve empenhar-nos com todas as forças no seu serviço» (João Paulo II, Redemptoris Missio, 1). A missão da Igreja não perdeu nada da sua urgência, bem pelo contrário, pois há «ainda muitos povos que não conhecem Cristo e ainda não ouviram a sua mensagem de salvação. Além disso, está a aumentar o número daqueles que, embora tenham recebido o anúncio do Evangelho, já o esqueceram e abandonaram, já não se reconhecem na Igreja; e muitos, também em sociedades tradicionalmente cristãs, são hoje refractários a abrir-se à palavra da fé» (Bento XVI, Mensagem para o 85.º Dia Mundial das Missões).


O clamor da Humanidade A necessidade da missão não é só intrínseca à própria Igreja, ela é motivada pelo clamor da Humanidade. Quando vemos no nosso mundo tantas situações de falta de paz, de injustiças, de falta de verdade, de pessoas que continuam a morrer de fome, como atualmente nos países do Corno de África, de pobreza e miséria que destroem seres humanos, de uma crise colossal de falta de valores humanos, morais e éticos, de uma procura doentia pelo conforto e bem-estar, hedonismo, de uma prevalência dos interesses financeiros e económicos sobre tudo o resto… enfim a lista poderia continuar… tudo isto é um clamor à missão da Igreja na proposta dos valores vividos e testemunhados por Cristo, da paz, verdade, justiça, solidariedade, fraternidade, verdade, vida plena e feliz. E são tantas as situações e pessoas em necessidade destes valores. A urgência da missão da Igreja não diminuiu nada, pelo contrário, está a aumentar no nosso mundo de hoje.


Pe. Vítor Dias, comboniano


A mensagem completa do Papa Bento XVI está disponível no site do Vaticano e também no guião da OMP.


As «Obras Missionárias Pontifícias» (OMP) disponibilizaram um guião para acompanhar este «Outubro Missionário».

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário