Actualidades
19 março 2020

Dia Mundial de Solidariedade e Oração: 22 de março de 2020

Tempo de leitura: 4 min
Religiosas convocam dia de oração e reflexão sobre o momento de quarentena vivido em todo o mundo
---

A União Internacional das Superioras Gerais (UISG) está a convocar para o dia 22 de março de 2020 um Dia Mundial de Solidariedade e Oração, num momento em que o mundo inteiro vive uma quarentena por cousa da pandemia do covid-19.

Neste momento em que cada um de nós é chamado a responder à crise mundial de coronavírus, vamos ser solidários com os outros, especialmente com as pessoas mais vulneráveis e em maior risco”, refere o comunicado assinado pela presidente da UISG, Irmã Jolanta Kafka.

As religiosas recordam que é hora de “seguir as orientações fornecidas pela Organização Mundial da Saúde e pelos nossos respectivos governos”, mas que este também é um “momento especial para a oração e para testemunhar, através da solidariedade concreta e com consciência, a nossa responsabilidade de cuidar uns dos outros”.

Esse tempo extraordinário oferece espaço para atos de generosidade e manifestações de gratidão, especialmente para aqueles que estão na linha da frente dos cuidados com os doentes, para os que se envolvem em projetos de pesquisa, para encontrar remédios e para os que trabalham em serviços públicos. Não importa quem sejam ou onde estejam, eles devem saber que estão nos pensamentos e nas orações de religiosas em todo o mundo”, destaca o comunicado.

O convite para um dia de oração e solidariedade das Superioras Gerais sugere a seguinte oração para este dia:

 

Oração

 

Isolamento

Sim, há medo.

Sim, existe isolamento.

Sim, há pânico para as compras.

Sim, existe doença.

Sim, até há morte.

 

Mas, dizem que em Wuhan, depois de tantos anos de barulho, você pode ouvir os pássaros novamente.

Dizem que, após algumas semanas de silêncio, o céu já não está impregnado de poluição.

Mas é azul e cinza e claro.

 

Dizem que, nas ruas de Assis, as pessoas cantam nas praças vazias, mantendo as janelas abertas para que aqueles que estão sozinhos possam ouvir os sons das famílias do bairro.

 

Eles dizem que um hotel no oeste da Irlanda oferece refeições gratuitas e entrega ao domicílio para aqueles que estão fechados em casa.

Neste momento, uma jovem que conheço está ocupada a distribuir folhetos com o número dela pelo bairro, para que os idosos possam ter alguém a quem recorrer.

Hoje igrejas, sinagogas, mesquitas e templos estão a preparar-se para acolher e proteger os sem-teto, os doentes e os cansados.

Em todo o mundo, as pessoas estão a desacelerar e a refletir. Em todo o mundo, as pessoas estão a olhar para os seus vizinhos de uma nova maneira. Em todo o mundo, as pessoas estão a acordar para uma nova realidade.

 

Quão grande realmente somos.

Quão pouco controlo realmente temos.

O que realmente importa.

Amor.

 

Então, vamos orar e lembrar que sim, há medo.

Mas não deve haver ódio.

Sim, existe isolamento.

Mas não deve haver solidão.

Sim, há pânico para as compras.

Mas não deve haver ganância.

 

Sim, existe doença.

Mas não deve haver doença da alma.

Sim, até há morte.

Mas sempre pode haver um renascimento do amor.

 

Esteja ciente das escolhas que faz sobre como viver agora.

Respire.

Ouça, porque para além das perturbações do seu pânico.

Os pássaros cantam novamente.

O céu está a clarear.

A primavera está a chegar.

E estamos sempre cercados de amor.

Abra as janelas da sua alma.

E mesmo que você não consiga

alcançar a praça vazia.

Cante.

(P. Richard Hendrick, OFM)

Partilhar
Newsletter

Receba as nossas notícias no seu e-mail