Opinião
03 julho 2023

Juventude missionária

Tempo de leitura: 4 min
A JMJ é um momento oportuno para que a juventude se encontre com a pessoa de Jesus Cristo e seja testemunha do Evangelho da alegria.
Bernardino Frutuoso
Director
---
(© JMJ Lisboa 20239)

 

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) realiza-se em Lisboa de 1 a 6 de Agosto e tem como lema «Maria levantou-se e partiu apressadamente» (Lc 1, 39).  Na mensagem para a JMJ, o Papa Francisco convida os jovens a seguir o exemplo missionário de Maria e a levantarem-se apressadamente. «Como Maria, levemos Jesus dentro de nós, para O comunicar a todos. Neste belíssimo momento da vossa vida, avançai, não adieis o que o Espírito pode realizar em vós! De coração abençoo os vossos sonhos e os vossos passos.»

Sabemos que o Papa Francisco sonha com uma Igreja que esteja em estado permanente de missão e, nesse processo de conversão missionária, a população jovem está chamada a assumir um papel activo na Igreja, como frisou nas anteriores edições da JMJ.

Na JMJ do Rio de Janeiro em 2013, sublinhou que «a fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história (cf. Rm 10,9). E, nessa linha, fez um apelo aos jovens: testemunhem a fé sem medo e anunciem o Evangelho, que «é o mandato que o Senhor confia a toda a Igreja». E perguntava o papa: para onde nos manda Jesus? E, em seguida, dava a resposta: «Não há fronteiras, não há limites: envia-nos para todas as pessoas. O Evangelho é para todos, e não apenas para alguns. Não é apenas para aqueles que parecem a nós mais próximos, mais abertos, mais acolhedores. É para todas as pessoas. Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes, até as periferias existenciais, incluindo quem parece mais distante, mais indiferente. O Senhor procura a todos, quer que todos sintam o calor da sua misericórdia e do seu amor.»

Na Polónia, em 2016, pediu à juventude que não fique no sofá, mas seja protagonista da História. «Para seguir Jesus, é preciso ter uma boa dose de coragem, é preciso decidir-se a trocar o sofá por um par de sapatos que te ajudem a caminhar por estradas nunca sonhadas e nem mesmo pensadas, por estradas que podem abrir novos horizontes, capazes de contagiar-te a alegria, aquela alegria que nasce do amor de Deus, a alegria que deixa no teu coração cada gesto, cada atitude de misericórdia. Caminhar pelas estradas seguindo a “loucura” do nosso Deus, que nos ensina a encontrá-Lo no faminto, no sedento, no maltrapilho, no doente, no amigo em apuros, no encarcerado, no refugiado e migrante, no vizinho que vive só.»

No Panamá, em 2019, Francisco recordou que a população jovem não é o futuro, mas o agora de Deus. «Ele convoca-vos e chama-vos, nas vossas comunidades e cidades, para irdes à procura dos avós, dos mais velhos; para vos erguerdes de pé e, juntamente com eles, tomar a palavra e realizar o sonho com que o Senhor vos sonhou. Não amanhã; mas agora!»

A JMJ Lisboa 2023 é um kairós na vida da Igreja portuguesa e universal, um momento oportuno para que a juventude se encontre com a pessoa de Jesus Cristo e seja testemunha do Evangelho da alegria, comprometendo-se na construção de um mundo melhor, mais ecológico, justo, pacífico, fraterno e solidário. 

QUERO APOIAR

 

 alem-mar_apoio

Partilhar
Tags
Editorial
---
EDIÇÃO
Junho 2024 - nº 747
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.