A Abrir
04 dezembro 2023

Natal solidário

Tempo de leitura: 2 min
Neste Natal, sugiro que demos um presente solidário a alguma pessoa que vive em situação de pobreza ou marginalização.
Bernardino Frutuoso
---

Neste mês de dezembro, celebramos a grande e alegre notícia do Natal, o nascimento do Salvador do mundo (lê páginas 8-9). Em Portugal, comemoramos esta festa com luzes coloridas, a montagem do presépio, presentes, doces típicos e a companhia dos nossos familiares e amigos.

No entanto, já alguma vez te perguntaste sobre como ocorreu o primeiro Natal? Se lermos os relatos dos Evangelhos sobre este grande acontecimento que mudou a História – que te convido a ler –, descobrimos que o nascimento de Jesus não deve ter sido fácil para Maria e José. Eles fizeram uma longa e cansativa viagem de Nazaré a Belém e, ao chegar, não encontraram lugar na estalagem. Maria teve de dar à luz num estábulo. É certo que os pastores e os Magos aparecem depois para adorar o Menino Jesus e os anjos cantaram «glória a Deus no céu e paz na Terra»; no entanto, estes momentos de júbilo extinguiram-se rapidamente e Maria e José tiveram de fugir para o Egito para proteger o Menino Jesus, que o rei Herodes queria matar.

A vida atribulada de Jesus desde pequenino faz-nos pensar e ser solidários com tantas crianças e adultos que hoje sofrem e têm de deixar as suas casas e terras, por muitas razões, designadamente a guerra, a pobreza, as cheias ou secas causadas pelas alterações climáticas. Neste Natal, sugiro que demos um presente solidário a alguma pessoa que vive em situação de pobreza ou marginalização (por exemplo, tu e os teus familiares podeis apoiar os missionários que ajudam os mais pobres em todo o mundo, a Cáritas ou outras instituições de solidariedade social).

Votos de um Natal feliz e solidário!

Partilhar
Tags
A Abrir
---
EDIÇÃO
Março 2024 - nº 626
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.