Sala de convívio
19 setembro 2019

A fé

Tempo de leitura: 1 min
O homem que ajudou Jesus a levar a cruz para o Calvário era de Cirene (Lucas 23, 26), que ficava no norte de África.
Redação
---

A Igreja de Antioquia, onde pela primeira vez se usou a palavra «cristãos» (Atos dos Apóstolos 11, 26), situava-se na atual Síria.

O Cristianismo floresceu na África do Norte, tendo como centros Alexandria (Egito) e Cartago (Tunísia). Nos primeiros cinco séculos, houve grandes teólogos africanos, como o bispo Inácio de Antioquia; Clemente de Alexandria, um grande erudito; Orígenes, autor de mais de 600 obras; Basílio de Cesareia, extremoso no amor aos pobres; ou Santo Agostinho, o maior teólogo de então. E houve três papas africanos: Papa Victor I (189-199), Papa Miltíades (311-314) e Papa Gelásio I (492-496).

Sucessivas ações missionárias contribuíram para que, hoje, o continente tenha mais de quinhentas dioceses, muitas com bispo africano. Padres, religiosos e religiosas locais são aos milhares. Catequistas são mais de dez mil. Os batizados são cerca de 228 milhões. Escolas, clínicas, projetos de desenvolvimento de inspiração cristã são numerosos.

Partilhar
Tags
Artigos
---
EDIÇÃO
Outubro 2019 - nº 578
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.