Sala de convívio
07 janeiro 2022

Paz

Tempo de leitura: 2 min
Percebamos o que nos traz paz, e sigamos esse caminho.
Margarida Leal
---

O Dia Mundial da Paz celebra-se a 1 de janeiro. Como não podia deixar de ser, fiz uma reflexão acerca de paz.

O que é a paz, afinal? Pode ter tantas definições e em tantos contextos diferentes! Estas são algumas que encontrei numa pesquisa rápida na Internet: «Ausência de guerra»; «tranquilidade, serenidade»; «ausência de ruído ou agitação em certo lugar ou momento»; «ausência de inquietações».

Vivemos num mundo onde falta paz. E falta paz em quase todos os contextos que consigo imaginar. Falta em tantos países, dentro de tantas casas, e, acima de tudo, dentro dos corações de tantos de nós, que passamos uma vida inteira inquietos e com um desânimo que nos persegue.

É, pois, cada vez mais essencial procurarmos e valorizarmos a nossa paz. Ela pode ser para mim algo muito diferente do que é para os outros, sem por isso ser mais ou menos verdade. Paz, para mim, é um dia com as pessoas que amo, sem a azáfama e a confusão do dia a dia. É ver a alegria no olhar de alguém que amo por algo que pude fazer por essa pessoa. É o silêncio confortável que se estabelece quando estamos sozinhos mas não solitários.

Procuremos a nossa paz. Já que a grande maioria de nós não tem o poder de intervir nos enormes conflitos armados, vamos, pelo menos. procurá-la no nosso interior. Não criemos conflitos. Tudo é efémero e, um dia, vamos perceber quão ridículo foi perder um segundo de paz com uma discussão insignificante. Percebamos o que nos traz paz, e sigamos esse caminho. E vamos fazê-lo nos gestos e atividades mais simples do quotidiano.

Partilhar
---
EDIÇÃO
Julho 2022 - nº 609
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.