Música
21 abril 2020

Sugestões musicais

Tempo de leitura: 4 min
As nossas escolhas musicais deste mês vão para os discos «Lost Voices of Hagia Sophia», «Good Friday in Jerusalem» e«Passion Week».
António Marujo
---

Títulos: Lost Voices of Hagia Sophia (canto medieval bizantino cantado na acústica virtual de Hagia Sophia)

Good Friday in Jerusalem (canto medieval bizantino da Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém)

Passion Week, de Maximilien Steinberg (e cantos para a Semana Santa de Nikolai Rimsky-Korsakov)

Intérprete: Cappella Romana

Direcção: Alexander Lingas | info@cappellaromana.org ou www.cappellaromana.org

Disco1

Lost Voices of Hagia Sophia (Vozes perdidas da Divina Sabedoria) é um disco ideal para tempos em que nos confinamos a viver afectos e contactos de forma virtual, com uma proposta inédita: recriar digitalmente o som daquela que já foi basílica e mesquita (a partir de 1453), hoje monumento património da humanidade. «O ouvinte é envolvido por ondas difusas que emergem das colunatas, [...] impulsos de energia acústica da abside [...]. A experiência de ouvir cantar em Hagia Sophia é quase a de o próprio edifício estar a cantar», lê-se na apresentação do disco.

Esta é uma obra extraordinária da Cappella Romana, grupo vocal de Portland (Estados Unidos), com um caminho marcante na música bizantina. Este disco celebra a festa da Exaltação da Santa Cruz, em Constantinopla, e o próprio edifício que, quando foi construído no século vi, era o maior do mundo e um prodígio da engenharia: com espaço e acústica relacionados de forma profunda, a reverberação do som dura mais de dez segundos.

O que se escuta é, por isso, uma «manifestação sensorial do divino», como escreve Bissera V. Pentcheva. Seja na percepção sonora, mas também na imaginação ou na memória, para quem (nunca) esteve em Hagia Sophia. Em grego, respirar e espírito são a mesma palavra (pneuma). Uma dupla semântica que traduz «o canto como uma forma de inspiração e vivificação».

 

Disco2

Dois outros discos do grupo celebram a Sexta-Feira Santa em Jerusalém com cantos da Igreja do Santo Sepulcro; e a Passion Week, de Maximilian Steinberg (que inclui também peças da Semana Santa, de Rimsky-Korsakov). No primeiro (o ofício começava no Monte das Oliveiras, durante a noite), o canto é intenso, misturando o tom de sofrimento com a certeza da revivificação (como na «Procissão para o Gólgota»), terminando com o tom meditativo de «Na Capela da Santa Custódia».

 

Disco3

Finalmente, Passion Week (a primeira gravação em disco) celebra o misticismo russo, com uns belíssimos «Aleluia», «Eis que vem o noivo» e «A câmara nupcial», cantados em diálogo entre vozes masculinas e femininas (que se mantém ao longo do disco). A obra de Maximilian Steinberg (1883-1946) como, depois, as peças de Rimsky-Korsakov sublinham a profunda espiritualidade russa que, no final do século xix e início do século xx, atravessou um período de renascimento, estancado pela revolução bolchevique de 1917, mas que permitiu legar-nos obras-primas como estas.

Belíssimos e obrigatórios. 

 

_________________________________________

Nestes tempos da covid-19, pedem-nos que fiquemos em casa para nos protegermos, cuidar de nós e dos nossos e ser solidários com a comunidade. Os Missionários Combonianos e as revistas Além-Mar e Audácia querem contribuir para que passe este período da melhor forma possível e, por isso, enquanto durar a quarentena, decidimos tornar de leitura livre todos os conteúdos das nossas publicações missionárias.

 

 

 

 

 

 

Partilhar
Tags
Discos
---
EDIÇÃO
Maio 2020 - nº 702
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.