Igreja
10 fevereiro 2022

«Regressarei à missão a África ou onde Deus quiser»

Tempo de leitura: 10 min
A Irmã Glória Narváez Argoty esteve sequestrada quase cinco anos no Mali. Nesta entrevista, lembra a experiência de cativeiro e expressa o seu desejo de continuar a entregar a sua vida à missão.
Hernán Darío Cadena
Jornalista da AIS
---

A irmã Glória Narváez depois da sua libertação, no Mali, no passado dia 9 de Outubro de 2021. A missionária esteve sequestrada quase cinco anos (© Lusa/Presidência do Mali)

Encontramos a irmã Glória em Pasto, Colômbia, a sua terra natal, onde chegou no final de Novembro de 2021 para descansar e recompor-se da dura experiência em cativeiro algures no deserto do Mali. Começa por falar-nos da sua maior paixão: a missão em África. «As Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada estão no Mali há mais de vinte e cinco anos. Uma das nossas principais preocupações é a capacitação das mulheres, com especial ênfase na alfabetização, porque nesse país, para elas, a educação é praticamente inexistente.» Ministram-lhes também conhecimentos básicos de agricultura e costura, para que possam gradualmente tornar-se mais independentes e se auto-sustentarem.

Partilhar
Tags
Igreja
---
EDIÇÃO
Julho 2022 - nº 726
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.