Artigos
29 dezembro 2023

Oásis de esperança

Tempo de leitura: 6 min
Em São Tomé e Príncipe, a irmã Lúcia Cândido e as suas colegas Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição dão vida a um projecto social que apoia adultos, jovens e crianças e lhes permite desenvolverem-se integralmente e viverem com mais dignidade.
P. Nuno Miguel
Missionário espiritano
---
As irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, além de trabalharem no PDIL, realizam uma pastoral de proximidade, visitando as famílias de Neves (© www.abracarsaotome.org)

 

A irmã Lúcia Cândido é natural da freguesia de Caranguejeira, Leiria, e pertence ao instituto das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição. Entrou nesta congregação feminina na juventude e, depois de se consagrar a Deus e aos irmãos, foi destinada a várias obras em Portugal. Trabalhou sempre com crianças, com a abnegação de uma mãe que se ocupa dos seus filhos: atenta, carinhosa, serviçal e sempre dedicada aos menores pertencentes a famílias desestruturadas, com maiores dificuldades de estabilidade e de inserção social.

Contudo, não era em Portugal que sentia o seu coração verdadeiramente preenchido. Pediu à sua superiora para a deixar partir para as missões. Não escolheu, nem propôs, nenhum país em especial. Saiu-lhe na sorte grande a missão de São Tomé e Príncipe, onde a sua congregação já trabalha há mais de sessenta e cinco anos. O acordado era que partia por pouco tempo, um período de dois anos, e com a função de ensinar Português numa escola. Não obstante, chegou à sua missão em 1999 e nunca mais de lá saiu. Já lá vão vinte e quatro anos e a irmã Lúcia está de alma e coração neste país irmão.

Desenvolvimento integral

Quem chega à cidade de Neves, rapidamente vai perceber que o nome da irmã Lúcia anda na boca de todas as pessoas. Sejam crianças, jovens ou idosos. E porquê? Porque consideram-na a Madre Teresa de Calcutá da cidade de Neves e arredores. Ela chegou, viu as carências da população e não ficou indiferente. Com disponibilidade, competência e boa vontade, pôs as mãos ao trabalho, começando a sonhar e a construir uma obra social e educativa que designou Projecto de Desenvolvimento Integrado de Lembá (PDIL). Agora, assiste a mais de três mil pessoas e converteu-se num grande oásis de esperança e de amor nesta parte norte da ilha de São Tomé.

 

Pag44_A

Alunos da escola Mãe Clara e do jardim Pimpolho; o PDIL acolhe mais de duas mil crianças da creche até ao 2.º ciclo do ensino básico (© www.abracarsaotome.org)

 

O PDIL marca a diferença, na qualidade e na acção, no âmbito nacional de São Tomé e Príncipe e na vida concreta dos seus habitantes. O projecto, baseado na visão do pensamento social da Igreja, visa promover as pessoas de maneira integral e abarca diferentes valências e serviços.

Na área da educação, acolhe mais de duas mil crianças da creche até ao 2.º ciclo do ensino básico. É uma multidão de crianças que todos os dias chega e invade as várias salas e os espaços dos recreios.

Dispõe também de um lar, chamado São Francisco, que acolhe idosos abandonados e carenciados. Realiza, ainda, o serviço de apoio domiciliário, assistindo assim a mais de 350 famílias que estão dependentes da marmita solidária ou da cesta básica. Funciona, igualmente, o centro social Mãe Clara, que prepara as refeições para apoiar os mais desfavorecidos e que ali podem receber aquela que, muitas vezes, é a sua única refeição diária.

No âmbito da formação técnico-profissional, existe uma sala de costura, onde trabalham cerca de vinte pessoas, mulheres e homens, que confeccionam de tudo, usando sempre o tecido africano. É um meio de sustento para eles e as suas famílias. Funciona, igualmente, uma carpintaria, que fabrica todo o tipo de material de madeira e onde trabalham, diariamente, doze jovens. O artesanato produzido por estes jovens é vendido e reverte a favor das necessidades mais urgentes do projecto.

 

Pag44_B

A irmã Lúcia Cândido, natural de Leiria, Franciscana Hospitaleira da Imaculada Conceição, é missionária na cidade de Neves, São Tomé e Príncipe. Coordena o Projecto de Desenvolvimento Integrado de Lembá (PDIL) (© Lusa/Miguel A. Lopes)

 

A iniciativa mais recente do Projecto de Desenvolvimento Integrado de Lembá foi a edificação de uma clínica dentária, bem equipada, que recebe voluntários e dá consultas a quem mais precisa. Existem, ainda, as várias salas de informática, abertas a todos os jovens que queiram aprender sobre o mundo dos computadores e da Internet. Sem esquecer a sala de enfermagem, que, com uma enfermeira a trabalhar diariamente, cuida e atende as pessoas que necessitam de todo o tipo de apoio médico-sanitário.

Comunidade internacional

A comunidade religiosa responsável por este imenso trabalho missionário é constituída por quatro irmãs. Todas elas se dedicam totalmente à arte do bem-fazer em prol do povo são-tomense, que padece de tantas necessidades. A timoneira é a irmã Lúcia Cândido, que coordena o projecto, e com ela colaboram a irmã Salomé, guineense, a irmã Wilbat, também da Guiné, e a irmã Júlia, de Angola. Quatro grandes mulheres que fazem toda a diferença nesta região do país e dirigem com alegria este oásis de esperança.

Para conhecer mais e apoiar o projecto visite o sítio de Internet: www.abracarsaotome.org

QUERO APOIAR

 

 alem-mar_apoio

Partilhar
---
EDIÇÃO
Março 2024 - nº 744
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.