Opinião
17 setembro 2022

Passar o testemunho

Tempo de leitura: 4 min
Testemunho e anúncio são modalidades da missão cristã que começam na família, onde a missão se vive como «passagem de testemunho entre pais e filhos».
P. Manuel Augusto Lopes Ferreira
Missionário comboniano
---
(© 123RF)

 

Reconduzir a vocação e a missão à primeira comunidade de vida cristã, que é a família, é um desafio que acompanha cada geração cristã, a nossa de modo muito especial. Num recente encontro com as famílias (25/06/22), o Papa Francisco usou alguns termos que nos ajudam nesta tarefa de iluminar e compreender a vocação e a missão, a começar pela família.

Ao definir a comunidade familiar, o papa usou algumas palavras que fazem parte do seu vocabulário da missão: «A família é o lugar do encontro, da partilha, da saída de si mesmo para acolher o outro; o seu ADN é o acolhimento e o espírito de serviço. Nunca o esqueçais: a família é o primeiro lugar onde se aprende a amar

Testemunho e anúncio são modalidades da missão cristã que começam na família, onde a missão se vive como «passagem de testemunho entre pais e filhos». «Deus não é ansioso, nem superprotector», recorda o papa aos pais; «pelo contrário, tem confiança [nos filhos] e chama cada um à medida alta da vida e da missão».

O caminho para a missão dos pais, em relação aos filhos, «não é preservar os filhos do mínimo incómodo e sofrimento, mas procurar transmitir-lhes a paixão pela vida, acender neles o desejo de encontrar a sua vocação e abraçar a missão grande que Deus pensou para eles». É esta descoberta que torna os filhos adultos.

Esta passagem de testemunho, da fé e do apego aos valores e a uma visão cristã da vida, está no centro da missão dos pais e de qualquer educador. «A melhor maneira de um educador ajudar a outrem a seguir a sua vocação é abraçar com um amor fiel a própria», recorda o papa aos pais, sublinhando que «não há nada mais animador para os filhos do que ver os seus pais viverem o casamento e a família como uma missão, com fidelidade e paciência, apesar das dificuldades».

No Evangelho da Eucaristia que celebrou para as famílias falava-se do caminho de Jesus, da Galileia para Jerusalém (Lc 9, 51-62). A imagem do caminho foi retomada pelo papa para falar da vocação e da missão vividas em contexto familiar. Francisco convidou as famílias «a retomar resolutamente o caminho do amor familiar».

A vida cristã é um caminho e «seguir Jesus significa pôr-se em movimento e estar sempre “em viagem” com Ele através das vicissitudes da vida», vencendo a tentação de procurar seguranças, de nos fecharmos no ninho em que a família se pode transformar. A vida e a missão cristã, desde a família, são um caminho não isento de dificuldades, mas «o caminho com o Senhor é dinâmico, imprevisível, sempre uma maravilhosa descoberta!»

Por isso, toda a vocação e missão cristã exigem coragem. «A aposta no amor familiar é corajosa. Vemos muitos jovens que não têm a coragem de se casar», reconhece o papa. Coragem que vem do amor, a chave de compreensão e da vivência da missão cristã, a começar pela família, «porque o amor familiar impele os filhos a voarem. Não é possessivo: sempre dá liberdade». Um amor «comunicativo, capaz de “tocar com a mão” os mais frágeis e os feridos que encontrardes pelo caminho; é quando se dá que o amor, incluindo o amor familiar, se purifica e fortalece». 

QUERO APOIAR

 

alem-mar_apoio

 

Partilhar
---
EDIÇÃO
Outubro 2022 - nº 728
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.