Ciência e tecnologia
30 dezembro 2020

Espécies com final feliz

Tempo de leitura: 4 min
A extinção das espécies não é inevitável. Muitas foram salvas. Conter a perda da biodiversidade é um desafio para a geração atual.
Maria Filomena Silva
---

Nunca foi muito fácil avistar os linces-ibéricos – são por natureza fugidios. Mas houve tempos em que existiam em bom número nas serras do interior e na região do Guadiana, no Alentejo e Algarve. No entanto, com o alimento a escassear – quase só comem coelhos –, e o território natural em degradação crescente, a espécie entrou em declive populacional, que quase ditou o seu fim.

Corria o ano de 1986, quando o último exemplar na Natureza foi avistado em Portugal, na serra da Malcata, uma região de beleza agreste na raia da Beira Interior. Depois os anos foram passando, e nem sinal de linces – a extinção parecia inevitável. 

Partilhar
Tags
Ciência
---
EDIÇÃO
Janeiro 2021 - nº 592
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.