Sala de convívio
31 maio 2024

Os meninos de ouro e de prata

Tempo de leitura: 2 min
Todos viveram felizes até ao dia em que Malu dá à luz dois filhos gémeos, um menino de ouro e um menino de prata.
Fernando Félix
Jornalista
---

Personagens: Narrador, Niame, Malachi, Malena, Malia, Malu, Taú e Mali.

 

Narrador: Niame é o jovem chefe da aldeia.

Niame (pensando alto): Quero casar. Para encontrar com quem partilhar a felicidade, vou convidar ao palácio quatro mulheres da tribo.

Narrador: No dia marcado, Niame recebe as quatro mulheres e fala com elas.

Niame: Se casasse contigo, o que partilharias comigo?

Malachi: Eu partilharia o meu trabalho para cuidar dos campos e da casa.

Malena: Eu partilharia os meus dotes culinários, preparando refeições deliciosas.

Malia: Eu teceria algodão. Andaríamos bem vestidos e não passaríamos frio.

Malu: Eu dar-te-ia um filho de ouro.

Niame: Escolho a Malu para mulher.

Narrador: Malia, porém, ficou muito ciumenta.

Malia: Já sei como aproximar-me de Niame: vou oferecer-me para trabalhar em sua casa.

Narrador: Niame e Malu contrataram Malia. E todos viveram felizes até ao dia em que Malu dá à luz dois filhos gémeos, um menino de ouro e um menino de prata.

Malia: A Malu ainda não viu os bebés. Vou levá-los para a floresta. E ponho estes dois sapos no berço. (Depois, gritando) Meu senhor Niame, venha ver, venha ver!

Niame: Estou dececionado, Malu! Onde está o menino de ouro, que seria o nosso tesouro? Quero-te fora desta casa imediatamente!

Narrador: Entretanto, os gémeos são descobertos por um caçador, que os leva para casa.

Taú: Que meninos estranhos, Mali! Um reluz como o ouro e o outro, como a prata.

Mali: E já reparaste que, sempre que lhes damos mimo, ficamos com pó de ouro e de prata nas mãos?

Narrador: Taú e Mali enriqueceram e começaram a frequentar a cidade. Um dia, porque a verdade vem sempre ao de cima, souberam que os gémeos eram filhos do chefe e foram falar com ele. Ele, furioso, foi falar com a Malia, que confessou que tinha levado os meninos para a floresta. Depois, mandou chamar Malu, a esposa que tinha expulsado de casa.

Niame: Malu, perdoa-me. Imploro-te que voltes para casa, por favor!

Malu: Está bem, Niame. Eu volto, pois quero amar, educar e ver crescer os nossos filhos.

Niame: Taú e Mali, como gratidão pela imensa alegria que nos dão ao trazerem-nos os nossos filhos, vão ser padrinhos dos gémeos. E são sempre bem-vindos a nossa casa!

Partilhar
---
EDIÇÃO
Julho 2024 - nº 630
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.