Sala de convívio
14 março 2020

«Speedy» Gonçalves

Tempo de leitura: 3 min
Paulo Gonçalves era um veterano do Dakar. Em 2015, terminou a corrida de motos em segundo lugar e todos os anos colecionava amigos entre os concorrentes e restante comitiva.
Luís Óscar
---

Ao avistar uma coluna de fumo negro, numa longa reta do deserto saudita, o australiano Toby Price temeu logo o pior para o amigo português que partira cinco minutos antes, para a sétima etapa do Rali Dakar 2020. Os receios eram justificados. Uma lomba inesperada projetou Paulo Gonçalves da moto, provocando-lhe ferimentos fatais, apesar da assistência quase imediata de Price e, logo depois, de outros pilotos e dos médicos da organização, que chegaram de helicóptero.

Depois de se assegurar que nada mais podia fazer para evitar a tragédia, Price montou novamente a sua moto e continuou a percorrer os restantes 250 quilómetros até à meta. Com o mesmo empenho, mas destroçado por dentro. «Fiquei desidratado por causa das lágrimas que derramei», confessou depois, continuando a chorar a morte do rival. Joaquim Rodrigues, companheiro de equipa e cunhado do piloto de apenas 40 anos, abandonou a corrida.

Partilhar
Tags
Campeões
---
EDIÇÃO
Março 2020 - nº 583
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.