Sala de convívio
01 julho 2019

O caracol e a borboleta

Tempo de leitura: 2 min
Esta fábula da escritora brasileira Bryzza ensina que cada um de nós é conforme Deus nos criou; que temos o direito a ter a vida e o espaço que nos cabe, e que o respeito das diferenças faz de nós seres únicos e especiais.
---

Personagens: Narrador, Caracol e Borboleta.

 

Narrador: Entre a folhagem tenra e húmida do canteiro de uma praça, deslizava lentamente um caracol. Sobre as folhas e flores, uma linda borboleta bailava com toda a sua leveza e graciosidade. Esta, sem reparar nisso, pousou em cima do caracol.

Caracol: Com que direito te sentas sobre mim e a minha casa?

Borboleta: Desculpa! Nem reparei que estavas aí.

Caracol: Pois devias reparar no que te rodeia e dar o devido respeito aos outros.

Borboleta: Olha, Caracol, agora sou eu que estou zangada. Não tive a intenção de te ofender, mas já que estás ofendido, então vou dizer-te umas verdades.

Caracol: Já sei, vai dizer-me que és superior a mim só porque tens duas vidas, uma na terra e outra no ar!

Borboleta: Exatamente! Eu também já fui uma lagarta repugnante, mas felizmente passei pela metamorfose e hoje sou esta linda borboleta que está à tua frente.

Caracol: Se te consideras privilegiada porque agora tens asas, eu também me sinto privilegiado, porque tenho a minha casa. E, quando resolvo repousar, basta encolher-me dentro dela!

Borboleta: Achas que isso me causa inveja? Que disparate! Para que quereria eu uma casinha minúscula e ridícula como a tua, se as minhas asas me levam aonde eu quiser e se tenho todo o espaço da Terra para voar?

Narrador: Nisto, as ervas e as flores, os insetos e os pássaros das redondezas começaram a rir, fazendo troça do orgulho da Borboleta e do Caracol. Então, estes, arrependendo-se e abandonando as carantonhas, disseram:

Caracol: Olha, graciosa Borboleta, agora sou eu que te peço desculpa. Tu tens a tua vida e eu tenho a minha. Sou feliz como sou, porque tenho a vida digna de um caracol e o meu viver é rastejar. E tu tens a faculdade de voar.

Borboleta: Sim! Cada um de nós é do modo como o Criador nos criou, e cada qual tem direito a ter a vida e o espaço que lhe cabe, respeitando as diferenças e aceitando as próprias limitações.

Narrador: E assim o Caracol e a Borboleta fizeram as pazes e foram amigos para sempre.

 

Teatro

Descarrega esta imagem, imprime-a e constrói as marionetas das personagens.

Boa diversão!

 

 

 

Partilhar
---
EDIÇÃO
Julho-Agosto 2019 - nº 576
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.