Mundo
11 maio 2023

Caminhos de paz

Tempo de leitura: 1 min
O autodenominado Estado-Maior Central manifestou a sua vontade de se sentar à mesa de negociações com o Governo colombiano.
Redacção
---

O principal grupo dissidente da guerrilha das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), autodenominado Estado-Maior Central, formado por uns três mil membros, manifestou, no passado dia 16 de Abril, a sua vontade de se sentar à mesa de negociações com o Governo colombiano. Numa comunicação à imprensa, os guerrilheiros que abandonaram o Acordo de Paz promovido pelo ex-presidente Manuel Santos e que levou as FARC a depor as armas em 2016, disseram que estão «empenhados» na paz, mas «uma paz com justiça social», referiram os guerrilheiros citados pelo jornal El Espectador.

Após oito meses de conversações exploratórias com Néstor Vera Fernández, conhecido como Iván Mordisco, o comandante-geral deste grupo de dissidentes das FARC, o presidente Gustavo Petro anunciou há um mês que o processo estava em curso. As negociações com o Governo colombiano terão início no próximo dia 16 de Maio, provavelmente na Noruega, segundo a proposta do grupo guerrilheiro. Esta mesa de negociação funcionará de forma paralela com a da outra guerrilha ainda em actividade no país, o ELN (Exército de Libertação Nacional).

Partilhar
---
EDIÇÃO
Maio 2024 - nº 746
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.