Sala de convívio
08 maio 2020

Desportistas africanos

Tempo de leitura: 2 min
Sitapha Savané, basquetebolista do Senegal, e Meseret Defar, corredora da Etiópia, são os atletas africanos de que te falamos este mês.
África González
Jornalista
---

Sitapha Savané

Senegal – Basquetebol

Tinha 14 anos quando se iniciou no basquetebol, em Dacar, capital do Senegal, onde nasceu. Dois anos depois, a sua família mudou-se para Nova Iorque, Estados Unidos. Enquanto estudou na universidade, jogou no Navy University.

No ano 2000, surgiu a oportunidade de jogar em Espanha, no Menorca. Previa ficar um par de anos, mas permaneceu dezoito. Transferiu-se para o Tenerife, em que se fez notar, e foi contratado pelo Gran Canária. Por este clube jogou uma final da Taça do Rei contra o Real Madrid. O último clube por que jogou foi o Movistar Estudiantes.

Terminou a carreira em 2017. No total, fez 486 jogos. Depois, foi comentador desportivo. Atualmente, estuda Gestão de Empresas e afirma que vai dedicar-se à política, como o seu pai.

 

Pag51A

Meseret Defar

Etiópia – Atletismo

Quatro vezes campeã mundial nos 3000 metros de pista coberta, duas vezes campeã mundial nos 5000 metros e outras duas vezes ouro olímpico nesta mesma distância (Atenas 2004 e Londres 2012), esta atleta etíope corre ao mais alto nível desde 2002.

Nasceu numa família humilde, com cinco irmãos. Quando saía da escola, tinha de ir trabalhar. Ela alude à vida difícil no seu país como um fator fundamental para ser excelente atleta: «Todas as crianças crescem a trabalhar e com uma vida dura. Isso é treino. Outro fator é a altitude das nossas localidades, que nos faz mais fortes.»

Quando deixar de correr, quer criar uma ONG no seu país para lutar contra o casamento infantil, e ajudar as crianças que não podem estudar e as mulheres mais carenciadas.

 

_________________________________________

Nestes tempos da covid-19, pedem-nos que fiquemos em casa para nos protegermos, cuidar de nós e dos nossos e ser solidários com a comunidade. Os Missionários Combonianos e as revistas Além-Mar e Audácia querem contribuir para que passe este período da melhor forma possível e, por isso, enquanto durar a quarentena, decidimos tornar de leitura livre todos os conteúdos das nossas publicações missionárias.

Partilhar
---
EDIÇÃO
Maio 2020 - nº 585
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.