Cultura
28 março 2021

As bonecas de Ataúro

Tempo de leitura: 7 min
A boneca de pano de cor de café e vestida com tais – um produto têxtil desenvolvido pelas mulheres de Timor-Leste numa cooperativa – mudou a vida das habitantes da ilha de Ataúro.
Fernando Félix
Jornalista
---

A ilha de Ataúro, Timor-Leste, a cerca de 25 quilómetros da capital timorense, Díli, é habitada por cerca de dez mil pessoas. É uma população empobrecida, a quem faltam bens tão básicos como água potável canalizada, saneamento, electricidade, escolas e cuidados de saúde.

Outra característica – que também afecta mais as mulheres e as meninas de Ataúro – é o vincado sistema patriarcal. Elas sofrem de sobrecarga de trabalho. Os homens exigem-lhes o pequeno-almoço pronto, o almoço e o jantar à sua espera quando chegam a casa, a roupa lavada e os filhos tratados. E isso apesar de elas passarem horas na horta ou de terem de andar quilómetros para ir buscar lenha e água.

Partilhar
---
EDIÇÃO
Setembro 2021 - nº 716
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.