Cultura
08 agosto 2022

A rumba é congolesa

Tempo de leitura: 6 min
O comércio de escravos permitiu que a rumba nascida nos dois Congos africanos chegasse às Caraíbas, na América. No seu regresso ao continente, enriquecida pela experiência americana, tornou-se também um apelo à liberdade no final do período colonial. Desde 2021, é Património Imaterial da Humanidade.
Fernando Félix
Jornalista
---
Festival de rumba com a fanfarra La Confiance, Kinshasa (© Etienne Kokolo/Unesco)

 

Partilhar
---
EDIÇÃO
Outubro 2022 - nº 728
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.