Sala de convívio
10 maio 2021

No Império Romano era assim

Tempo de leitura: 1 min
Desde o início dos tempos foram deixando de existir, como devem imaginar, muitas profissões.
Hélder Guégués
---

De quando em quando, os meios de comunicação social trazem artigos sobre profissões dos nossos dias que no futuro deixarão de existir. Em geral, acertam, nem que seja a longo prazo, pois tudo acaba. Pode ser, em si, uma pequena tragédia pessoal para aqueles que atinge, mas uma profissão acabar nunca é da noite para o dia. Seja como for, desde o início dos tempos foram deixando de existir, como devem imaginar, muitas profissões. No Império Romano, havia o pregustador, que era um funcionário que estava encarregado de provar as comidas e bebidas que iam ser servidas ao imperador para se assegurar de que não estavam envenenadas. Por vezes, era preciso contratar um novo pregustador... Alexei Navalny, opositor de Vladimir Putin, ia gostar de ter um pregustador. Outra que deixou de existir: na antiga Roma, também havia o nomenclador, que era o escravo que tinha por incumbência anunciar o nome dos visitantes. Imagina que tinhas um auxiliar com esta incumbência. Alguém ia a tua casa e vinha o nomenclador avisar-te: «Menina Ana, o seu professor de Matemática está aqui para a ver. Deixo-o entrar?»

Partilhar
---
EDIÇÃO
Julho 2022 - nº 609
Faça a assinatura da Audácia. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.