Mundo
29 maio 2019

Guiné Equatorial: Compromisso capital

Tempo de leitura: 1 min
O governo do presidente Teodoro Obiang garante que a pena de morte será abolida na Guiné Equatorial até 2020.
Carlos Reis
Jornalista
---

O presidente português Marcelo Rebelo de Sousa, anuncia ter recebido do ministro dos Assuntos Exteriores e da Cooperação da Guiné Equatorial, Siméon Angue, a garantia de que a pena de morte será abolida neste país da África Ocidental antes da XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP - Angola 2020.

Uma missão da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa visita a capital Malabo em Junho onde será acolhida pelo governo do presidente Teodoro Obiang, no poder desde 1979. «Esperamos todos, que haja a decisão das autoridades competentes da República da Guiné Equatorial no sentido de consagrar expressamente a abolição da pena de morte», comenta Marcelo Rebelo de Sousa.

 

A Guiné Equatorial, antiga colónia espanhola, aderiu à CPLP em 2014 mediante um roteiro de adesão, que incluía os compromissos de promover e difundir a língua portuguesa e a abolição definitiva da pena de morte. A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa é uma organização internacional formada por países lusófonos, nomeadamente Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, com o objectivo de aprofundar a cooperação entre os membros.

Partilhar
---
EDIÇÃO
Julho-Agosto 2019 - nº 693
Faça a assinatura da Além-Mar. Pode optar por recebê-la em casa e/ou ler o ePaper on-line.